Tudo fortaleze

Tudo fortaleze
Nascem coisas de onde menos imaginamos.

quinta-feira, fevereiro 28, 2013

Oferta!

Eu não pediria nada,
Sem promessas.
Nada juras,
De suplicas.
A única coisa que quero.
É ofertar-te meu coração
Tendo o seu em troca.
Nada mais importaria.

Valor

Preço dos dias
Das noites maldormidas.
Das dúvidas correntes.
Da distância que se faz perto.
De um sorriso largo,
De uma música cantarolda,
De olhos amendoados,
Do espírito de menino.
Da ternura,
Do carinho.
Preço a pagar
Pela felicidade em braços do pecado.
De pele morena,
De jeito acanhado.
Preço pelo dias compartilhado.
De uma vida incerta
E o abraço que se teve na memória ficou.
E preço não há!

Certeza

Quero ter a certeza.
Quero em meus braços.
De te amar todos os dias.
Fantasia para realidade.
Um café quente para esquentar o coração.

Quero a certeza de seus olhos.
Do prazer nas noites endiabradas.
Brincadar de abra-cadabra.
Deitar no seu ombro,
Acompanhar o seu sonho.

 

quarta-feira, fevereiro 27, 2013

De coração para coração

Você irá me encontrar esperando por você.
Toda sua fortaleza cai a noite em silêncio.
Até o amanhecer estarei com você, é o que digo!
Por que eu sei que você sobre o meu querer.
Você sabe o quanto lhe gosto.
O quanto te quero bem.
Você está em mim.
E está claro que tem medo de algo.
Deixe as cortinas cair,
A fortaleza ruir,
O muro quebrar,
A confiança brotar.
Jogue fora o passado.
Liberte o que vejo.
Seu coração está frio,
Meus lençóis estão quentes.
E meu coração ardendo.
Seus olhos me dizem algo.
Você pode me proteger e eu te fazer feliz na tempestade.
Vou te abrigar em meu coração,
em todo caos, 
Em toda devastação que tumultuam suas emoções.

terça-feira, fevereiro 26, 2013

Anúncio

Por que você não carrega minhas palavras.
Não mergulha no sentimento.
Não extravasa em meus lábios.
Transborda as atitudes
Acaricia o meus cabelos
Compartilha sua emoção.
Derrama um olhar para o coração alegrar.

Extraviado

Perdida,
Naufragando em sentimentos.
Dispersa na eloquência de lembranças
Atendo para imoralidade de pensamentos.
Sumido está diante de meus olhos.
Desaparecido da rotina.
Porém não esquecido.

Perdida,
Vagando,
Desorientada;
Se encontram os olhos,
As emoções em desolado coração.
O dano,
O desmerecer sofrido
Largado na imensidão da falta de um sorriso.

Atualidade.


Vendo novamente o filme: Meu primeiro amor, eis que surge no final do filme o seguinte poema:

Salgueiro chorão com lágrimas escorrendo.
Por que você chora e fica gemendo? 
Será por que ele lhe deixou um dia?
Será por que ficar aqui não mais podia? 
Em seus galhos ele se balançava. 
E ainda espera a alegria que aquele balançar lhe dava?
Em sua sombra abrigo ele encontrou 
Imagina que seu sorriso jamais se apagou.
Salgueiro chorão, pare de chorar.
Há, algo que poderá lhe consolar?
Acha que a morte para sempre os separou? 
Mas em seu coração para sempre ficou.

Hoje, ele faz mais sentido do antes.

Grande Segredo


Quando te imagino sabes o que eu vejo?
Alguém que preencheria os meus dias,
Se encaixaria nos meus sonhos.
Por isso não posso te deixar.

E se não pode me amar  por medo
Lhe deixo um secreto desejo:
Seremos amantes em grande segredo!
De presentes coloridos e loucos felizes!

Tecidos nas estrelas marcantes,
Sacramentado pelos oceanos
Na benção tímida da areia.
Segredada em nossos olhos flamejantes.


Amante Segredo

Desejo te amar,
Como um todo,
Ter como em prazer sem fim.
Quero que faça parte de mim.

Eu te encontrei,
Você me encontrou.
Quero que sinta as palpitações de meu coração.
Me deseje como te desejo.

Vi algo que talvez ninguém mais possa ver.
Vi contido flores em um jardim.
Aroma da natureza.
Perfumada eram as terras.

Colheriam os dias,

Perfumaríamos os mares.
Adocicada seria vida.
Se por mim te apaixonastes.





Junto a ti

Porque és claros 
E por vezes distante em palavras?
Letras ditas para acalmar.
Amenizar quem?
Sustento na atitude,
Ter cautela e paciência.
Quero alimentar os dias,
Saciar a fome.
Palavras postas a mesa como:
Uma iguaria,
Um manjar,
Um estímulo a gula.
Claras como a chama de uma vela.
Junto a ti, o prato principal.
O doce mantimento aguarda.



Transformar a ilusória da esperança.
Um querer por respostas.
Onde a atitude pede desculpas
E esclarece o coração em agonia.


Você não sente nada.
Diga algo.
Seja meu amante,
Meu eterno namorado.
O príncipe das marés
E ardente como sol.

sexta-feira, fevereiro 22, 2013

Sombras pela fresta da porta.
Um medo medonho,
Rolam lágrimas 
Na escada dos sonhos!
Rostos, 
Corpos,
Suor,
Uma cama de ferro,
Uma cama rangendo
Na escuridão no prazer eternizado.
Raízes confusas,
Tesão e morte.
O silêncio azul.
Imobilidade dos dias.
E eterno amor aguardo.
Pequenas lembranças.
Retalhos de sede,
Conto de fadas
Suspiros que rolam.
Cheiro de tinta,
Aroma de terra molhada.

terça-feira, fevereiro 19, 2013

Longe

Longe de você permaneço,
Longe estam os os olhos,
Longe estam o querer,
Separados pela calamidade.
Separação dolorosa.

Consultório sentimental se faz necessário.
Quase um mês sem te ver.
Dias de desconforto,
Palavras evasivas,
Jeito distante.

Não o que pensar,
Medo, medo
Que não fique apenas na memória.
Deve ser sentido em toda sua plenitude.
Esquecendo o que machuca.
Não sejas material com o passado..

Sofrimento

Emoção,
Motivação,
Motivação,
Onde estão?

Um estado de indiferença,
Um estímulo emocional,
Músculos enfraquecidos,
Olhos marejados.

Insensibilidade,
Emoções agradáveis, 
Desagradáveis por vezes de tornam.
Uma lesão.

Ausência da paixão,
Falta te a emoção.
A dor, o medo, o desejo e prazer caminham juntos.
O amor está em angústia!

A euforia de dias amendoados,
A alegria de ver o mar dourado.
A esperança de um ver de novo.
Ansiedade estar em seu caminho.



Ânimo

Desistir,
Fraquejar,
Desaminar,
Separação que desfalece.
Indiferença que queima e arde.

Peco em te amar.
Peco em te desejar,
Peco em saudade,
Peco em verdade!

Vacilo,
Egoísmo,
Falta de emoção estética,
Sem reação a empatia.

Das afinidades,
Do jeito de agir,
Sonhos que entrelaçados,
Mas se tornou apático,distante e indiferente.

Coragem

Coragem para mais um dia,
Os dias permanecem cinzas.
Os anjos desapareceram.
Escravos da babilônia,

O que estará fazendo agora?
Olhando para mesmo céu escuro que vejo?
Nadando em dúvidas,
Tentado crer na verdade?

Coragem para os dias,
Coragem para as noites,
Força para enfrentar os agonia.
Esse mar revolto de emoções.

sábado, fevereiro 16, 2013

MOTIVO MAIOR

Organismo vivo,
Uma estrela do mar,
Pescar os sonhos,
Enredar-me em seus braços,
No balanço do ar,
Embarcar em uma canoa e nos juntarmos ao mar!

Canções.

Canções para recordar.
Preencheram o coração.
Ternura ...
Uma fotografia em forma de melodia.

As batidas do coração pensam em momentos
Onde céu azul esta presente.
Um mágico tempero ficou no ar.
Canções para esquecer os problemas.

Melodias diárias,
Para fazer esquecer os tormentos.
Para fugir da selva, da babilônia!
Dar vazão todos os dias expressando os sentimentos.

Desatino

Nos sonhos mais loucos,
Nos dias insanos,
A mente vaga,
Percorre dias,
Perambula noites a dentre.
A alma e coração clamam por graça.
Pedem a compreensão.

Devaneio,
O corpo em exaustão.
Uma combustão de sentimento.
Uma falha,
Duvidas que pairam em tolo coração.
Suportar os raios do sol que não 
vejo brilharem com exatidão!

Nos sonhos mais loucos,
Nos dias insanos, 
Em noites alucinantes.
Desatinado o pensamento.
No ávido coração.
Insensata são as horas que não passam.
E os dias que te não lhe vejo!


As rosas choram,
O espinho cravado no peito.
O sangue quente correr pelo rosto.
As moléculas em ebulição.
Como como pólvora acessa dentro coração.

sexta-feira, fevereiro 15, 2013

Dispersão.

Os olhos não mentem,
A frieza que gela a alma,
Peito dormente,
Gotículas de caem em silêncio,
E lua põem se a chorar.

Convulsões,
Turbulência, 
Estrelas que se afastam.
Onde o sol caí em tristeza profunda.
De uma maré sem fim.

Tormenta.

O barco navega por águas turbulentas.
O rio transita pela melancolia
E os ventos em silêncio cortam o coração.

Doce Amargo

O por vezes tem um gosto amargo,
Que borbulha feito ácido.
Se instala devagarinho.
Alusão de olhar,
O brilho dos olhos apagou.
Lágrimas brotaram
O despertar de uma emoção
Uma verdade de sentimento.
Então sorri a saudades
Nasce a lembrança,
A recordação que agoniza o coração.


quinta-feira, fevereiro 14, 2013

Mudança Repentina

Mudanças no cotidiano.
Questiono o presente
O futuro simplesmente não avança.

Encalhado ficou alguns planos.
É assim que coisas acontecem,
Consequências sentidas no corpo.
Feridas n’alma.

.Arrastam-se  os dias.
Medo
Medo de não te ver.

 Sentimento fora de compasso
Repousar em braços
Repousar nas águas do mar
 Mudanças apressadas,
Mudança  repentina,
Afastou o querer.

A tempestade deve ir embora.
Sem aflição.
A chuva lavará a tristeza.

A corrente  das marés
Trarão alegrias.
E a magia de um amor poético regresso.

Do dia.

Murcha esta face.
O espinho feriu os olhos.
Um desalento cotidiano.
Uma diferença de menino.
O pôr-do-sol não encontra as águas.
Os pássaros já não cantam mais alegres.
O vento não se aproximou.
E natureza então chorou.

Gaita

O som da gaita já não é o mesmo.
Ela chora em suas melodias.
Canções tristes.
De uma saudades inquietante.

A gaita está em descompasso.
Não tem harmonia.
O tempo encontra-se desafinado.
Ela se derrama em deserto chamado melancolia.

Ventura

Se livras das correntes,
Libertar das amarras,
Quebrar o silêncio,
Ser livre como vento.

Pousar no cume da montanha,
Descansar em um praia,
Cuidar do jardim.
Enterrar as tristezas

Ver a beleza no passado.
Não sentir mais saudade.
Ver o sol a brilhar
E sorriso de braços aberto para me encontrar.

Culpa

A culpa és minha por deixar a alma se enlaçar na sua.
Por deixar me aprisionar.

Por sentir seu lábios sem ao menos tocá-los
Esculpir sonhos.
De idealizar seu encanto.

Sou culpada por te amar em silêncio.
Por querer te abraçar,
Por querer seus olhos nos meus.
Por me lembrar de ti com ternura.

A culpa é minha por adorar o sol,
Apreciar o mar,
Por deixar-se enfeitiçar pelo luar.
Por demostrar a poesia.
Te ver em pupilas.
Por querer sua respiração para adormecer todos os dias.

Em segredo te abraço,

De dou bom dia,
Pergunto como foi seu dia.
Em segredo de dou boa noite.
E me refresco em seu corpo.

Seu retrato no coração,
Satisfação meu amor deseja,
A culpa cega a visão,
Culpa covarde não dá permissão.
E fico em aflição.




Bocas


Sua boca é sensual
Seus lábios me chamam,
Boca lascívia
Sua voz diz que me ama
Boca sedenta.
Suga a essência
Com toda a  maledicência
Nenhum de nós pede clemência!


Bocas vorazes.
Meu doce menino.
Meu lobo marinho!
Boca príncipe,
Tu és o rei no meu reino.
Junte-se os lábios.
Os corpos se aproximam.
Sedentos,
Engolidos pelos desejos.

As bocas gemem,
Deliriam,
Sussurram,
Gritam,
Pois famintas estavam uma da outra.


Bocas que roubam os prazeres,
Transitam pelo frio e pelo quente,
Mãos ágeis,
Beijos molhados
Lábios fortes,
Língua enérgica.
Suplicas ditas  pelos olhos.
Que roubam fogo dentre de mim.

quarta-feira, fevereiro 13, 2013

Esta noite


Não a como dormir.
A pele arde.
O coração pulsa acelerado.
A porta está encostada.
Você se deitaria a meu lado.
Aqueceria minha pele.
Com o calor de seu toque.
Molharia minha boca
Com seus olhos de volúpia.
Seu corpo em luxúria.
Deliram os corpos.
No prazer noturno.
Incendeiam-se os órgãos.
Línguas que excitam.
Almas em sintonia,
Lambuzam-se os ventres.
O desejo é gritante,
O furor é latejante.
Palavras pecaminosas.
Libertinagem no quarto.
Sussurros de fervor.
Esperam por você.
Com os olho fechados,
Com corpo desnudo.
Pensamento intrigante
por você nessa noite.



Saudades


Sonho na noite escura.
Cheia de tontura,
Cheia de uma imensa saudade.
Queima os olhos
E afeta o sentimento.

Emoção que está presente no peito.
Triste é alvorada.
Loucamente me põe em saudades.
Na bruma de um clarão.

Cheia de esperança em um novo amanhecer,
De raios que façam a saudade para de enlouquecer.
Doce sonho que quer fundir-se na realidade.
Inunda a outrora a saudade.

Ânsia do desejo,
De perdi a ausência,
Embriagar em seus lábios,
Desfalecer em seus braços.

Vontades


O sonho já não basta.
Um caminho diferente se instalou
Tempestade vá longe.
Ver te na minha frente
De semblante contente.
Palavras divergentes.
Mundo covergente.
Não basta mais somente o sonho.
Chega de ilusão,
Incerteza,
Incoerência,
De agitação no coração.
A realidade quer a realidade.
Acreditar que os instintos são suficientes.
Acreditar nas vontades
O nevoeiro parece cegar olhos.
Calma e paciência pede o novo caminho.
Regressar à vida o sonho forjado de ilusão?
Uma nova estação.
Uma brisa levanta a cortinha.
Não seja passivo, levante a cortina.
Transforme os dias,
Modifique as noites,
Permita as emoções.
Um turbilhão que começa na paixão.
Impeça a tempestade.
Levemos as feridas,
Chega de catástrofes,
De tumulto que eclode em furacão.
Dê a mão,
De almas lavadas encontramos o caminho.
Sigamos pela estrada,
Por rotas não antes navegadas,
Descobrindo novas terras e
Novos aromas.
Dando vazão as nossas vontades.

Vem depressa.
Atravessa meu caminho.
Abrace me com força.
Me traga teu carinho.

terça-feira, fevereiro 12, 2013

Casamento ao coração

Se eu tivesse sentimento
Viveríamos em comunhão
Com alguma participação
Com dedicação e
Sem lamentação.

O que faço com o coração?
Não suporto viver nessa 
Tensão, nessa agonia com toda essa preocupação.
Preciso de uma decisão
Seguir minha intuição
Para não terminar na exaustão.

Se esse  coração unido a outro coração.
Não viverá só,
Nem tanto pouco de recordações.
Será alucinação,
Imaginação da perfeição de amar.
Vivendo sem indignação

Sem nenhuma restrição
Só havendo  uma paixão
Uma dedicação,
Estaria unidos pelo coração.
Conjunção de alma.

Unida a seu coração


Ah! Você tem uma emoção
Entenda a minha a razão.


Amenize a aflição
Explique ao coração.
Hoje, estou na solidão
Perdida na multidão.

Ah! Se eu tivesse um coração
Por que tanta complicação?
Não viveria de ilusão
Nem estaria em aflição
Muito menos de alma aprensiva.
Que preciso do seu amor.

Por mais de mil noites


Dormir ao seu lado.
Provocando os poros.
Suplicas de afago.
Enlaçar em suas pernas

Estar por mil vezes
Entre beijos e carícias,
Abraços e mordidas.
Estar presente em mais mil amanheceres.

Braços nus,
Gemidos misturados,
Corpos colados,
Ânsias de orgasmos.

Deitada ao seu lado.
Noites de frio,
Primavera em formas sinceras.
Coração em ação.

Quimera dos meus,
Fonte do ardor,
De borboletas no estômago.
Que querem se transportar para seus lábios.

Um sorriso de satisfação,
Uma alegria para o coração.
Uma caricia n'alma.
E seu olhar me acalma.









Bicarbonato


Divorciada da humanidade
Agradeço por não me matar oh, tristeza!

Nas veias corre o cianureto.
Corroída estão a inocência.
Acabou de ser perdida.

Inalo benzeno
Ele disfarça a realidade
Alusão das vontades.

Pele que se esfarela.
Órgãos esmagados  indiferença.
Jazes nas profundezas da emoção.

Amo-o


Coração sonhador,
Sangra alma,
O covardia se dá com tempo.
Amo-o como um milagre.

Amo-o na ausência,
No silêncio.
No presente traidor.
Te amo como alguém jamais te amo!

Amo-o seu jeito valente,
Seus olhos sonhadores,
Amo-o no que existe,
Amo-o no restou.

Não esqueço de suas promessas,
Não esqueço de suas juras,
Não esqueço das suas glórias,
De suas confidências.

Amo sua franqueza,
Seus acertos,
Seu caráter,
O seu nada.

A distância se faz presente.
Sua presença ganhas mais valor.
Sua essência completa.
Amo-te ontem, hoje e amanhã.


Sussurros

Imaginando,
Uma boca,
Mãos que tocam e incendeiam.
Um alucinado prazer.

Imaginado,
O que necessidade,
Indispensável,
Preciso de você agora!

Conto os segundos,
Conto as horas,
Os dias que se passam 
Sem ver os seus olhos.

Esquecer o tempo afastado,
O desejo contido,
Esquecer que sinto sua falta.
Acordar e ver novamente seu sorriso.

Seu jeito de menino,

Do homem que almejo.
O meu corpo se consome,
Os dias são estáticos.

A paixão é ardente.
O prazer é latente.
Receber o calor do corpo que desejo.
Cedendo a suculência de seus beijos.

Ouça minha voz sussurrando por você,
Ouça minha voz te chamando.
Meu coração não aguenta mais,
Venha até mim,  
Porque sua espera estou.

A sua Espera



Inquieta,
Ansiosa,
Coração que pulsa na garganta.
A mente querendo te encontrar.

Saudade de sua voz,
De seu jeito,
Do seu sorriso,
Do seus trejeitos.

Um abraço que parece um beijo.
À espera de você,
Uma projeção dos sonhos,
Do meu desejo.

A curiosidade
Permanece na esperança.
Fincada emoções.
Distribuídas pelo corpo.


domingo, fevereiro 10, 2013

O Beijo.

Do beijo,
Beijar os seus braços ao amanhecer,
Tocar levemente a pele.
Beijar-te com olhos,
Que maliciosos beijam os seus.

Beijar sua face,
Beijar cada parte da sua pele,
Beijo suculento,
Beijo que cicatriza a ferida!
Que  encanta.

Beijar-te entre as pernas.
As montanhas e vale do sua tez.
Beijo que alimenta,
Que acaricia,
Que os pelos arrepias.

Seu beijo,
Meu beijo,
Nosso beijo!
Pede urgência,
Beijo que marcará a pele e envolverá alma.

Meu amado, amado Meu!


Clássica,
Romântica.
De trejeitos antigos.
Provinciana talvez.


Adoro o mágico!
De natureza selvagem.

Minha reação não significa que não pense em você.
Posso intimar você com minha presença.

Verdadeira,
Amante,
Sou cofre restrito.
Bolo, flores, água do mar ...
Efervescente, eloquente sou!

Amante e amado meu,
Que fito seus olhos,
Pertenço de alma,
Destina sou a esse meu amo,amado!

Cinco estrelas


Criar a mudança,
São cinco estrelas no céu.
Letras que elas carregam.
Rastros cósmicos de um universo.
Muda a praia,
Muda o tempo,
Mudanças de caminho
Houve mudanças de sentimentos.
Mudam os   hábitos.
Mudança, Mudança ...
Que o caminho não mude,
Não distancie as cinco estrelas.

Estreia *


Estréia no seu palco.
Ficção, romance, aventura, erotismo ...
Espetáculo que nós une.
Kama sutra bíblia dos prazeres.

Cravar minhas unhas na sua carne.
Morde com suave delicadeza!
Volúpia corporal.

Corpos se tocando selvagemente.
Beijo com fúria,
Esmagando meus sentidos.

Perdendo a rota da razão.
Dar vazão a loucura enfadonha do seu desejo.
Na ternura desejo calado.

Fitar seus olhos ao amanhecer lhe dar prazer sentindo meu prazer!