Tudo fortaleze

Tudo fortaleze
Nascem coisas de onde menos imaginamos.

quarta-feira, outubro 19, 2011

Cio

Cio de areia,
Cio das ondas,
Cio das rochas,
Cio em  silêncio (...)
Não recordo o ciclo do cio.
Cio dos ciclos dos olhos,
Cio do vício,
Cio de sua falta de coragem
Cios que navegam em ilusões
Cio de vácuo sem força
Não lembro de cio
Cio de amor
Cio de saudade!

Desejo II


Adormece fragilidade
Adormece anjo
Adormece o dia

Acorda essência


Acorda meu sexo
Acorda o desejo...
Acorda a libido


Adormece o sarcasmo;
Adormece o frio;
Adormece  a ilusão


Acorda a paixão
Acorda o sonho.
Me acorde com seus beijos,
Me acordo sem seus braços.





segunda-feira, outubro 17, 2011

Vermelho

Vermelho é sangue.
é vida.
Vermelho é explosão,
é raiva.
Vermelho é desejo,
é rosa.
Vermelho é amor,
é paixão.
Vermelho é renascer,
é fogo.
Vermelho são meus olhos.

Garganta *

Bate e rebate!
Garganta está seca  (...)
Engulo a saliva ao te ver passar!
Meus dedos ficam loucos para te tocar.
Minha boca quer o seu corpo.
E meu corpo gozar no seu corpo!

domingo, outubro 16, 2011

Quero*

No silêncio da noite ela desperta o calor!
Desperta a ira.
Ferve os sentimentos.
Entra em ebulição a carne.
As paredes umedecem (...)
Deslizar minhas mãos em seus cabelos agora quero!
Quero -te agora segurar-te pelo avesso, ah como quero!



Cores


Desejo navegar junto ao lilás e trazer seu mistério espiritual.
Sugar o vermelho e sua energia sensual.
Desbravar o verde em pacífico terno natural.
Quero o amarelo do sol que contagia em seu otimismo alegre !
O azul do céu que divertido convida ao balé de suas nuvens!
Olhos gris que atrai mil encantos.
No branco sinto  a curiosidade vejo a clareza. 
Com laranja seja bondoso, leal e cative a inteligência.
O rosa  de sonhos projetados (...)
Na granada sou atrevido e apaixonante
E por fim, o PRETO e NEGRO
com seu  lado travesso, aventureiro e enigmático coração !

sexta-feira, outubro 14, 2011

Anjo

Desperto com batidas sem compasso
Para onde foram os anjos ?
Me deixou só na escuridão.
O chão põe-se a tremer
Rachaduras surgem 
Ruas sem saídas ..
Risco de abismo.
Grito que sufoca ...
Agonizo com pranto.
Onde está meu anjo ?
Onde está a minha alma.
Desprendo-me  do corpo.



Alimento

Alimento da  minh'alma
Sua forma sob a luz clara da lua.
Você é fútil, tão fútil que não vê 


(..)


Simpatia tenho por suas mãos.
Arrepio na espinha
Alimento fundido


(..)


Como alimentar essa tarde vazia ?
Sem seu cheiro 
Sem olhares encabulados ...

quinta-feira, outubro 13, 2011

Sede *

Tenho sede de sua saliva.
Tenho sede de seus dedos.
Tenho sede de seus olhos.
Sede de suas pernas.
Sede de seu gosto.
Quero suas coxas,
Quero olhar por cimas de seus ombros.
Sede de ter sede.
Sede de gemido.
Sede de amar-te.
Sede para devorar-te!


Marcas

Marco seu corpo.
Marco seu coração.
Identifico seus olhos.
Idealizo nossos sonhos.
Tatuagem feita a quatro mãos.
Pintada estará nossa pele.
Inebriante será o perfume.
Uma enxurrada de paixão.
Marca profunda das águas.
Enlace de nossas marcas.


Criar

A oportunidade única. 
Há problemas na linguagem.
Paraíso e inferno vamos ser.
Eu exijo sua atitude.
Pegue-me no impulso, 
Pressione meu corpo no seu corpo.
Lábios que reclamam.
Crie o sinal.
Volúpia nos sentidos.
Desperte meu fulgor.
E deixe nossos corpos arder.

Desejo

Quero poder brindar a sua imoralidade,
A sua falta de vergonha
Ao gosto que sinto de seu corpo.


Quero arder em fogo!
Mergulhar nos seus poros.
Suplicio do meu pecado.


Meu ardor absorve sua decência.
Minha afluência sabe como desvendar seus segredos
Cedo aos seus encantos.
Que jaz na sua essência.

Magia

A magia da vida quero.
Tornar a vida uma Bossa Nova.
Transitar no espaço.
Lugar meu te necessito.


Aconchego de estar.
Minha felicidade sólida.
Dormir em paz em seus braços.
Com a luz do luar a iluminar nossos corpos.

Beija-me! *

Quero beijo de lado
Com pressão,
Inclinado.


Quero beijo direto e indireto.
Beijo feito fruta madura (...)
Beijo mordido, beijo bandido!


Beijo broche.
Batalha de lábios.
Beijar a testa, os olhos, as bochechas, 
O peito, a cabeça, a nuca e o pescoço.


Beijar, Beijar , beijar e beijar ...
Beija-me!


Beijo que desperta.
Beijo de dedos.
O beijo da lembrança!

Mordidas brincalhonas ...
Espasmos de alegria.
O coral e  a jóia.


(...)

Transmitir o beijo em seus três sentidos.
Beijar-te fugazmente e fazer-te delirar.

BOCA *

A boca já não é amarga.
Já não tem ácido.
A doçura dissolveu em água.


Sem gosto
Sem sentido
Sem palavras
(...)


Minha boca procura morada
Minha boca quer a sua boca
Ela geme, treme, clama ...
A minha boca pertence a sua boca!

terça-feira, outubro 11, 2011

O Cego e a Concha.

Permaneço da beleza profunda.
Escondo meus segredos, Oh, segredo!
Cego está com a areia que fica ao redor.
Pequenina me encontro entre imensidão esverdeada.
Fazei-me pérola meu grão de areia cego!
Margarita minha de substância licita para meu manto penetrar.
Oh, cego hospedeiro invasor.
Distante calada, 
Aflita por sua reação.
E assim vai a concha e o cego.
Segredada pelo momento.
Cristalizando-se, se habituando (...)
Cego permanece a areia que parasita a concha.
Tirai esse fino tecido e deixai
Cego e a concha transformar-se em uma linda madrepérola.


Graça

Ser cheia de graça
Majestosa como a lua
Ser o calor do sol.
Límpida como as águas
Corrente do meu destino.
Meu vermelho pulsante.
A visão brinda ao teu ver.
Quero guardar seus suspiros 
Ao entardecer.
Algemar seus lábios ao despertar.

sábado, outubro 08, 2011

Descaso

Acidez mental , ironia do saber.
Palavra que cortam.
O obscuro encontra-se no olhar.


Desprezo à noite onde não encontro o calor.
A temperança disputa a vaga com a revolta.
Nadar na correnteza é preciso ?


Desgosto da discórdia,
De não sentir sua respiração.
De não respirar para poder elaborar!


domingo, outubro 02, 2011

Paroxítonas

Minha abóbada de chávena.
Incólume é o meu amor.
Não é efêmero, não é déspoto.
Tão quão vermífugo.
Ele é égide!
Usa paráfrase.

Biótipo único.
Para mim se tornou plêiade em meu coração.
Não me importa suas títeres.
Tão pouco seu humor íngreme.